Branding, marketing de comunidade e storytelling: o case de Manu Gavassi no BBB 20

É, eu sei. É sobre o Big Brother Brasil mesmo que vou falar.

É polêmico, sim, e fica claro que as pessoas se dividem entre: quem despreza, quem adora e quem diz que não gosta (mas talvez veja escondido).

Mas, calma, a qualidade do produto televisivo não é pauta desse conteúdo. E sim o que podemos aprender com o BBB 20.

 

O BBB já está na sua vigésima edição e neste ano se diferenciou por contar com um grupo de influenciadores na casa, alguns com grande impacto nas redes sociais, como Bianca Andrade (conhecida como Boca Rosa, surgiu por seu conteúdo sobre maquiagem), Mari Gonzalez (que expõe um estilo de vida fitness) e Manu Gavassi (cantora e atriz).

 

Quando vi o formato, tentei pensar o que poderia levar alguém que já possui uma carreira e um certo reconhecimento a se expor na casa mais vigiada do Brasil sem controlar a edição. Afinal, a gente sabe que o Instagram mostra apenas um recorte editado da vida das pessoas – o recorte feliz, bonito e bem sucedido, é claro.

Logo percebi que as motivações podem ser muitas: o prêmio em si, mas principalmente a divulgação do influenciador enquanto marca pessoal, seus produtos próprios ou de anunciantes. Inclusive, recomendo você dar uma olhada sobre a Boca Rosa neste post.

 

Para ser bem honesta, eu faço parte do grupo que despreza o BBB. Mas fiquei vidrada na estratégia digital da Manu Gavassi e passei a acompanhar os conteúdos – e os memes – desde que ela entrou no programa. E ela está dando grandes lições sobre storytelling, conteúdo, marketing de comunidade, construção da marca pessoal, entre tantos outros pontos que podem ensinar bastante para todos nós.

 

Grande conhecimento sobre seu público-alvo

Manu domina o universo do seu público-alvo. É mais do que adepta às redes sociais, sabe muito bem comunicar online e, mais do que isso, conhece o discurso de quem a acompanha. O cuidado com a estética e o apelo à moda também são pontos de conexão.

O piloto desse projeto já havia sido lançado e feito sucesso. Há um ano atrás, ela lançou uma série chamada “Garota Errada” no Youtube e Instagram, com o qual testou e viu o que funcionou em termos de formato, estética e conteúdo. Com sarcasmo e muitas piadas (especialmente sobre ela mesma), conseguiu a aprovação de quem a segue e mostrou um lado criativo que nem todo mundo conhecia. A cantora foi responsável pela idealização do projeto e pelos roteiros dos vídeos.

Oi, meu nome é Manuela Gavassi, mas você pode me chamar de Manu… Gavassi. Já deve ter ouvido meu nome por aí. Ou não. Ou você gosta de mim, e se você gostar, a gente é amigo porque eu sou bem facinha. Ou você tem bode porque me acha uma patricinha metida de São Paulo. Eu sou uma patricinha metida de São Paulo, mas eu sou “A” patricinha de São Paulo mais legal que você já conheceu.

Talvez você ache uma grande baboseira e não faça sentido para você. Eu entendo. Mas lembre-se: a gente está falando de um público jovem, presente na internet e tudo mais. É para esse público que o conteúdo está voltado.

E funcionou! Recentemente, quase um ano depois do lançamento, esse trecho que destaquei viralizou no TikTok também, no qual pessoas dublaram seus vídeos com a piada da Manu sobre a percepção das pessoas sobre ela.

 

Estratégia de conteúdo multiplataformas

Assim que Manu entrou na casa, uma nova série de vídeos foi lançada. E as piadas, mesmo as que brincam com a história da cantora, continuaram.

Logo no primeiro conteúdo, Manu aproveita que é desconhecida pelo grande público e sobe a hashtag #WHOTHEFUCKISMANUGAVASSI. Um tanto ousada, não?

Sabendo que o próprio BBB não tem crédito para muitas pessoas, chamou a experiência toda de retiro espiritual, e disse que entrou nesse barco para também descobrir quem é. É claro que isso chamou a atenção de muita gente.

Na pegada da saúde mental, contando até com um personagem que representa um psicólogo na série, ela dialoga com uma preocupação essencial da sua geração: para onde vai, qual caminho trilhar, quem é na fila do pão e por aí vai.

Sabe que é nichada e por isso Manu zoa que muitas pessoas a chamam de flopada na carreira. Ela abraça isso na construção da sua marca pessoal, sem lutar contra. Nada melhor que aproveitar a percepção das pessoas a seu favor na construção da sua própria narrativa!

 

A série de conteúdos está presente em muitas plataformas: Instagram, Youtube, Facebook e Twitter. Por meio de boas práticas de storytelling, promove a divulgação de si mesma, a conexão com a audiência e o engajamento. Toda a estratégia é reforçada offline também, pois no programa ela repete a brincadeira sobre o retiro e toda a bizarrice da experiência de estar no BBB.

Imagem: Instagram Manu Gavassi

Ah, ser uma fábrica de memes é algo importante na construção da sua marca no reality show, uma vez que qualquer piada dela (seja on, seja off) logo é compartilhada nas redes sociais.

 

Marketing de Comunidade

Construção de comunidades é algo que está sendo muito falado pela necessidade de construir diálogos de verdade com a audiência e não usar as plataformas apenas para promoção.

Isso é muito importante para redes de marcas pessoais e corporativas, inclusive de influenciadores. Quando se promove conexões reais e se compartilha valores com os usuários, o engajamento e a influência tendem a crescer.

Manu sabe disso e logo soltou o recrutamento do Exército da Fada Sensata. É, eu sei, mas Fada Sensata é um termo muito usado nas redes sociais.

Com esse conteúdo, ela chamou para a ação sua audiência. Não tardou para muitas pessoas comentarem em suas redes sociais se alistando para o tal exército, uma espécie de fã clube de apoio à sua participação no BBB. O recrutamento contou com muitos famosos se escalando também, o que gerou grande visibilidade.

 

E como essas estratégias ajudam Manu?

Pode ser que para muitos o prêmio de 1 milhão de reais seja o grande destaque do programa (eu adoraria rechear minha conta, inclusive). Mas não podemos negar que outros resultados, talvez mais impactantes ainda, estejam em jogo aqui.

Um exemplo disso ocorreu no dia 22 de janeiro, quando Manu foi a pessoa mais seguida no mundo no Instagram: quase 500 mil novos seguidores em um único dia.

Número de seguidores não paga boletos e pode ser sim uma métrica de vaidade. Ao mesmo tempo, não estamos falando da Rihanna ou de alguém muito famoso mundialmente, estamos tratando de uma cantora e influenciadora de nicho e o resultado é bem significativo.

Isso é apenas um demonstrativo de todas as estratégias e técnicas acima, mostrando sua capacidade criativa e de atingir novos públicos. Não é a toa que isso até resultou tempo atrás na criação de sua própria agência, com trabalhos para Mac Cosmetics, Sallve, Revolve, Livo Eyewear e Tanqueray, além da visibilidade para novos anunciantes e apoio na divulgação da sua carreira de cantora. Um bônus mais que esperto: ela acabou de lançar uma música no meio de todo esse furacão, aproveitando todo o buzz gerado.

 

Talvez você não se importa com who the fuck is Manu Gavassi, mas não podemos negar que está mandando bem. Você viu mais algum ponto que chamou sua atenção na estratégia da Manu? O que achou?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *